RSS é pra agregar!

Há algum tempo uso o leitor de RSS do Firefox. A opção por este navegador foi feita há alguns anos e para adicionar canais RSS não foi preciso fazer qualquer tipo de instalação. De forma prática e rápida passei a verificar automaticamente, direto do meu navegador e sem a necessidade de visitar as páginas, as atualizações de portais que preciso acompanhar de forma imprescindível no trabalho. Mas por trás do símbolo do RSS há uma experiência muito maior do que uma simples lista de links, proporcionada pelos agregadores como o GoogleReader.

Eu já conhecia a ferramenta, mas nunca tinha explorado ou procurado saber um pouco mais. Achava que era mais coisa pra ocupar meu tempo na internet. Ledo engano. Qualquer pessoa, independente de ser jornalista, que utiliza a internet com frequência, cria algumas rotinas ao se conectar. Visita determinados sites, acompanha as novidades de determinada ferramenta. Para as os mais organizados, o Reader pode poupar muito tempo. Por outro lado vejo muitos “reclamando” que a lista de mensagens a serem lidas chega a centenas. Tenho dúvidas sobre como gerenciar isso, mas resolvi testar.

A primeira coisa interessante foi ver, em minha primeira visita à página do GoogleReader, que os blogs que eu acompanhava quando mantinha um weblog no blogger estavam lá. Escolhi alguns sites que também podem ser úteis no meu cotidiano de trabalho para acompanhar e saí explorando as opções. O RSS não tem mistério, mas acredito que sua funcionalidade só se cumpre quando são escolhidos alguns poucos canais para acompanhar.

Já o GoogleReader, que conta com uma porção de ferramentas, permite que a lista de sites para acompanhar seja muito maior. As inscrições podem ser organizadas em pastas, tags, marcações por estrelas. É possível acompanhar as recomendações de outras pessoas, inserindo seus próprios comentários sobre a notícia. Uma outra vantagem dos agregadores como o GoogleReader, conforme analista este artigo do Webinsider, é que é possível acessar a lista de RSS em qualquer computador.

No meu trabalho atual eu consigo gerenciar o fluxo de informação sobre os temas que me interessam usando o RSS, assinatura de alguns mailings, alertas google e entradas pelo Twitter. Os agregadores não descartam o RSS no navegador, especialmente no ambiente de trabalho, no entanto, o Google Reader abre novos horizontes e permite um monitoramento de informações muito mais amplo.

Advertisements

Tags: , , ,

One Response to “RSS é pra agregar!”

  1. Carlos Castilho Says:

    Oi Mariana,
    Teus exercícios estão perfeitos. Publicação dos resultados da pesquisa, tua experiência pessoal e a analise interpretativa. Tanto no trabalho sobre RSS e Google Readr, como no nos sistemas de buscas. Só um esclarecimento: o Clusty é um sistema chamado de contextual, ele procura identificar os contextos do resultado agrupando-os em segmentos. O seu grande defeito é não ter muitos resultados em português. o Deep é um sistema de busca qiue se especializou em indexar bancos de dados, ou seja, o que se chama de Web Profunda. A que está protegida por senhas.
    Um abraço
    Castilho

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: